Alto Paraguai: Menina com leucemia encontra em casa, doadora de medula; família faz campanha para custear o tratamento

Na luta contra a Leucemia desde 2016, Ângela Maria do Carmo Mendes de Arruda, de 7 anos, moradora de Alto Paraguai, conseguiu o que parecia mais difícil: uma doadora de medula óssea 100% compatível; a própria irmã, Ana Clara de 9 anos.

Após anos de angústia e desgaste físico e emocional causados pelos tratamentos de quimioterapia, o teste de compatibilidade confirmou que Ângela, tinha ao lado, a pessoa que pode ser a garantia de uma vida saudável.

“Começamos a luta em março de 2016, foram meses longe de casa, em tratamento no Hospital do Câncer de Cuiabá, e vencemos a doença depois de muitas sessões de quimioterapia, e no ano passado ela foi curada, só ia para consulta de rotina uma vez por mês. Esse ano em uma das visitas, o exame deu alterado, meu mundo desabou. Com a graça de Deus, uma de minhas filhas deu 100% compatível, e agora, a minha guerrinha vai fazer o transplante em Curitiba”, celebra a mãe, Elaine do Carmo Mendes.

Em Mato Grosso não é realizado esse tipo de transplante, e para receber a nova medula, a paciente fará a operação no Paraná. Nesta quarta-feira (11), a mãe e as duas irmãs, viajam até Curitiba, para os primeiros exames no Hospital das Clínicas, e agora, a preocupação da família são os custos para arcar com a viagem e tratamento.

“Temos os custos das passagens, hospedagem e todo o acompanhamento, a jornada é longa pela frente, mas estamos confiantes que vamos superar. Por isso, usamos as redes sociais para pedir a cada um que sinta tocado em nos ajudar, seja com qualquer valor, ficaremos eternamente agradecidos, pelo gesto de amor e confiança dedicado a nós. Deus abençoe”, ressalta.

A luta de Ângela, exemplifica as dificuldades pelas quais passam muitos pacientes, sem condições financeiras para custear o tratamento. Quanto antes for realizado o transplante, maior é a possibilidade de a garota crescer com saúde. Quem quiser e puder ajudar a proporcionar mais qualidade de vida a família de Ângela, pode entrar em contato pelo Fone: (65) 9.92331407, ou por transferência bancária para os dados abaixo:

Bradesco

Agência: 1586  

Conta Corrente:12580-6

Titular: Elaine do Carmo Mendes

Como ser um doador

Aqueles que querem se tornar doadores de medula óssea devem procurar um hemocentro, doar uma pequena quantidade de sangue (10ml) e realizar o cadastro no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome).

Quando houver um paciente com possível compatibilidade, a pessoa cadastrada será consultada para decidir quanto à doação. É essencial manter os dados sempre atualizados.

Uma Campanha AtualMT

Por AtualMT ✅

4 thoughts on “Alto Paraguai: Menina com leucemia encontra em casa, doadora de medula; família faz campanha para custear o tratamento

  1. Coloca o CPF, pra fazer transferência precisa do CPF

  2. É bom esclarecer que todas as despesas são custeadas pelo Redome, passagens, hospedagens, o que o Redome não cobre são despesas extras. Que bom que a pequena conseguiu a medula. Deus no controle.

  3. A mãe poderia criar uma vaquinha virtual, assim mais pessoas poderão ajudar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *