Mato Grosso, 18 de fevereiro de 2020
   

Acusado de assassinar tangaraenses em Diamantino continua livre; família e amigos pedem agilidade na prisão do suspeito


Paulinho Xuxa ou Paulinho da Autoescola, acusado do duplo homicídio, continua foragido (Imagem: Reprodução)

O crime bárbaro que vitimou os tangaraenses Thiago Luiz da Silva Campos, 37 anos, e Eldes Fernando dos Santos, 22 anos, completa uma semana hoje. O assassino, Paulo Henrique Burin, 49 anos, conhecido como Paulinho da Autoescola ou Paulinho Xuxa, continua foragido.

Amigos e familiares de Thiago e Eldes pedem justiça.

Fonte: Tangará em Foco
Thiago e Eldes foram brutalmente assassinados (Imagem: Reprodução Facebook)

O Tangará em Foco conversou com Vitor e Mari, irmãos de Thiago. Eles se mobilizam para auxiliar a polícia nas investigações e para que o autor do duplo homicídio vá para trás das grades.

“Ele continua foragido, queremos que a polícia chegue o mais rápido até esse vagabundo”, disse Mari, pedindo apoio na divulgação da identidade e da foto do assassino.

Vitor contou a nossa reportagem que seu irmão Thiago foi a autoescola, juntamente com Eldes, seu amigo e cunhado, com o objetivo de resolver uma situação referente a Carteira de Habilitação (CNH) de Eldes, pois, segundo ele, o dono da empresa o tentava extorquir. “Ele estava extorquindo o Eldes, tem até um boletim de ocorrência sobre isso”, garante Vitor.

Na autoescola, segundo a polícia, houve uma discussão e, em seguida, Paulinho disparou contra Thiago e Eldes. O primeiro (Thiago) residia e possuía negócios em Tangará da Serra, o segundo (Eldes) morava e trabalhava em uma fazenda de Deciolândia.

Segundo a Polícia Civil, após efetuar os disparos e matar os dois, o suspeito Paulinho, proprietário da autoescola, fugiu do local e continua sendo procurado pela polícia.

O fato foi registrado no dia 25 de outubro, no interior da Autoescola Globo, em Diamantino.

Primeiramente a Polícia Militar foi acionada por testemunha informando sobre os disparos ocorridos dentro da escola, que fica localizada na frente da Ciretran do município.

No local, os militares encontraram as duas vítimas caídas e com perfurações de arma de fogo. Uma equipe médica de pronto atendimento esteve na autoescola e constatou as mortes.

Testemunhas só informaram que eles estavam dentro da autoescola, primeiramente conversando e em seguida passaram a discutir e o propriétario sacou a arma e atirou várias vezes contra as vítimas.

O caso está sendo investigado pela Polícia.

Nas redes sociais, muitas são as manifestações de familiares, amigos e conhecidos das duas vítimas pedindo que haja agilidade na elucidação do crime e a prisão do acusado.

1 thought on “Acusado de assassinar tangaraenses em Diamantino continua livre; família e amigos pedem agilidade na prisão do suspeito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *