Mato Grosso, 22 de novembro de 2019
   

Ex-juiz define filiação ao PT e liderará “frente de esquerda” em Cuiabá

Julier Sebastião era filiado ao PT antes de ingressar na magistratura e passou pelo PMDB e PDT antes de voltar ao partido de Lula

julier-ludio.jpg
Folha Max

O Partido dos Trabalhadores (PT) se articula para ser a quarta via nas eleições municipais do próximo ano, em Cuiabá. E o nome forte que surge para concorrer como cabeça de chapa ao Palácio Alencastro é o do ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva, atualmente filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT). Em novembro, o ex-magistrado deve se filiar ao PT juntamente com outros militantes. 

O encontro de Julier com líderes do PT ocorreu na tarde dessa sexta-feira (18). Participaram da reunião, onde foi batido o martelo do ingresso de Julier no PT, o deputado estadual Lúdio Cabral, o novo presidente do Diretório Municipal do PT em Cuiabá, Elisvaldo Almeida, o Bob, e também vários militares da esquerda pedetista, liderados pelo jornalista Adilson Costa. A informação é que esse grupo irá se transfir em massa para o PT.

O ex-juiz federal já estava afastado do PDT desde as eleições estaduais de 2018. Ele não concordava com a decisão do partido em apoiar o governador Mauro Mendes (DEM), inclusive indicando Otaviano Pivetta (PDT) na condição de vice. 

O ingresso de Julier no PT significa uma “volta às origens”, já que antes de entrar na magistratura, ele militava no PT. Em abril de 2014, depois de 19 anos de magistratura, ele pediu exoneração do cargo de juiz federal da 1ª Vara Federal de Mato Grosso para ingressar na política e se filiou ao PMDB, partido pelo qual chegou a ensaiar uma candidatura ao Governo do Estado naquele ano.

Em dezembro de 2015, ele decidiu sair do PMDB e no dia 9 daquele mês assinou ficha de filiação com o PDT, a convite do então presidente do partido em Mato Grosso, o ex-deputado estadual Zeca Viana. Pelo PDT, Julier disputou as eleições para prefeito de Cuiabá e ficou em quarto lugar, obtendo 23.307 votos (8,12% dos votos válidos). Nesta eleição, se elegeu prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro, com 98.051 votos. Em segundo lugar, ficou Wilson Santos, do PSDB (81.531 votos) e, em terceiro, o procurador Mauro, do PSOL (71.336 votos).

Caso realmente Julier seja confirmado como o nome do PT para as eleições para prefeito da Capital em 2020, estaria colocada a quarta via para a disputada o Palácio Alencastro. Ele lideraria a chamada “frente de esquerda”, que reuniria partidos como PC do B, PSOL e Rede Sustentabilidade. 

Embora as construções políticas e discussão de alianças ainda estejam num estágio inicial, o cenário para o pleito já está “desenhado”. 

O atual prefeito, Emanuel Pinheiro, deve disputar a reeleição com apoio de cerca de 10 patidos. O vice-prefeito Niuan Ribeiro, que ingressou no Podemos, dirigido no Estado pelo deputado federal José Medeiros (aliado do presidente Bolsonaro), deve ser confirmado para a disputa. Ele sonha em ser o “candidato do Bolsonaro” na capital.

E tem ainda o Democratas, que deve definir um nome com o aval do governador Mauro Mendes. Entre os possíveis pré-candidatos do DEM estão o atual secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, e o do chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, além do ex-deputado federal Fábio Garcia. 

CONGRESSO

Neste domingo, 20, o PT vai realizar seu congresso estadual, ocasião em que serão definidos os nomes para compor o novo Diretório Estadual, que vai substituir o atual, presidido pelo deputado estadual Valdir Barranco. O encontro petista também é preparatório para o Congresso Nacional do PT, no final do ano, quando será escolhido o novo comando nacional da agremiação e também definida a política de alianças visando às eleições municipais de 2020.

Com a perspectiva que também ocorra uma eleição suplementar para o Senado, caso a cassação do mandato da senadora Selma Arruda seja confirmada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o PT também vai discutir em seu encontro estadual um possível nome para disputar a nova eleição para a vaga de Selma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *