Mato Grosso, 19 de outubro de 2019

Policial militar é preso suspeito de matar enfermeira a mando do marido

O policial militar Marcos Vinicius Pereira Ricardi, 26 anos, foi preso pela Polícia Civil suspeito de ter assassinado e jogado o corpo da enfermeira Zuilda Correia Rodrigues, de 43 anos, em um córrego da Estrada Ruth, na região do bairro Jardim Terra Rica, na cidade de Sinop. Ao ser detido, o PM disse que o crime foi encomendado pelo marido da vítima, o empresário Ronaldo da Rosa, que está foragido.

De acordo com a Polícia Civil, foi o próprio marido que registrou um boletim de ocorrência relatando o desaparecimento de Zuilda no dia 28 de setembro, poucas horas depois de a mulher ter sumido em 27 de setembro.

Na queixa, Ronaldo afirmou que Zuilda foi vista pela última vez por volta das 19 horas quando estava indo ao centro da cidade para ajudar o esposo no trabalho de venda de espetos.

De acordo com testemunhas, a enfermeira conduzia uma caminhonete Toyota Hilux SW4, que foi abandonada da porta da casa da vítima, horas depois do seu desaparecimento.

No boletim de ocorrência, o marido, na tentativa de dar veracidade ao relato de desaparecimento, acrecentou que o suspeito, um policial militar, era sua testemunha.

Diante disso, o militar foi convocado para prestar depoimento, na última quarta-feira (2), na Delegacia de Polícia Civil. Na unidade, os policiais observaram que o policial tinha marcas de arranhões no rosto e o questionaram o que teria provocado tais lesões.

Marcos justificou dizendo que havia caído de motocicleta. Em um primeiro momento, a versão foi contestada pelos policiais civis que começaram a questionar sobre os fatos. Em determinado momento, o policial confessou que matou a enfermeira a mando do marido dela.

O motivo, entretanto, não foi revelado pelo suspeito. Marcos encontra-se detido no 3º Comando Regional de Sinop.

Logo depois, o agente apontou o local onde havia abandonado o corpo e os policias iniciaram buscas. Porém, o cadáver de Zuilda foi localizado apenas na manhã desta terça-feira (8) e reconhecido por um dos filhos.

Já o empresário ainda não foi localizado. Testemunhas disseram que o estabelecimento dele não foi aberto na noite de segunda-feira (7). Até a publicação da matéria, não havíamos conseguido contato com a defesa de Ronaldo.

Já o corpo de Zuilda foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para ser realizado exames de necropsia que apontarão as causas da morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *