Mato Grosso, 19 de setembro de 2019

Barbudo diz que “dança de partidos” é normal e que eventual saída de Selma é busca por acomodação

Firme no propósito de manter a senadora Selma Arruda nos quadros do PSL, o presidente da sigla em Mato Grosso, deputado federal Nelson Barbudo afirmou que se confirmada a saída da parlamentar do partido, a relação entre eles o apoio da ex-juíza ao presidente Jair Bolsonaro não serão abalados. Para Barbudo, a famigerada “dança das cadeiras” dos partidos políticos é comum e Selma, por não ter experiência na política, estaria em busca de acomodação.

“A política é como o céu: cada vez que você olha as nuvens estão de um jeito. A dança de partidos é normal. Se ela escolher outro partido é o livre arbítrio, a consciência dela. Nos primeiros seis meses de um Governo, principalmente quando a pessoa não é política, eles procuram acomodação”, considerou Barbudo.

A possível saída de Selma do PSL será definida no final da tarde desta sexta-feira (06), quando será realizada uma reunião entre as lideranças do partido no Estado. A senadora ainda não revelou as razões para cogitar esta mudança, mas já participou de reunião com o deputado José Medeiros (Pode), para discutir filiação.

Em nota, Selma anunciou, no início desta semana, que analisava sua desfiliação do PSL, mas que iria manter seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Além de ocupar o cargo eletivo mais alto do PSL no Estado, a senadora atualmente também é a vice-presidente do partido.

“A gente vai conversar com ela. Perder a senadora é muito ruim para o partido, nós vamos tentar convencê-la e, primeiro, saber por que ela quer sair. Eu tomei conhecimento pela revista Época de que seria o major Olímpio, a Soraia, do Mato Grosso do Sul, e a dra. Selma, que estariam pensando em sair do PSL. Mas não sei de desavenças, tenho um ótimo relacionamento com o Bivar e ele não me chamou para conversar, então está muito obscuro. Comigo não há descontentamento e nem briga”, garantiu Barbudo. (Fonte: Olhar Direto)

ATUALMT